ONU rejeita pedido de adiamento das negociações de novo governo afegão

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 30 de novembro de 2001 as 20:45, por: cdb

A ONU rejeitou, na sexta-feira, um pedido feito pela Aliança do Norte para o adiamento em 10 dias das negociações para a formação de um governo provisório no Afeganistão, informou um diplomata ocidental.
O pedido foi feito por causa de um desentendimento entre os delegados da Aliança do Norte em Bonn e o líder Burhanuddin Rabbani, que está em Cabul.

Negociações a passos muito lentos

As facções afegãs que estão participando da conferência da ONU a respeito do futuro do Afeganistão, nas proximidades da cidade alemã de Bonn, estão avançando pouco para um acordo a respeito do governo provisório no país, segundo a organização.

O porta-voz da ONU, Ahmad Fawzi, ainda tem esperanças de que as quatro facções representadas no encontro possam chegar a um acordo no sábado. O objetivo é estabelecer mais de dois conselhos interinos para governar o país depois de mais de 20 anos de guerra civil.

“Estamos avançando vagarosamente nesta direção, para conseguir um acordo que seja aceitável para as quatro facções, pois não queremos uma solução que não seja implementada ou respeitada por todas as quatro”, disse.

Na sexta-feira, o chefe da Aliança do Norte, Burhanuddin Rabbani, afirmou que os integrantes de um futuro conselho governante do Afeganistão devem ser escolhidos pelo povo afegão e não na Alemanha, onde está ocorrendo o encontro.

Força internacional

Rabbani também tem objeções a uma força internacional de paz no país, afirmando que qualquer contribuição estrangeira não deve ultrapassar o número de 200 soldados.

A questão relativa a uma força internacional de paz é um elemento-chave durante as conversações, mas a ONU afirma que esta questão ainda não foi discutida em detalhes.

A ONU afirma que espera que os líderes afegãos respeitem o acordo que será fechado na conferência da Alemanha.

“Nós temos a palavra de Rabbani, prometendo que ele vai respeitar o que quer que seja determinado depois das conversações em Bonn”, disse Ahmad Fawzi.

Proposta

Os grupos presentes à conferência na Alemanha ainda precisam chegar a um acordo sobre a atual composição de dois conselhos.

A Aliança do Norte e as outras três facções participantes vão entregar para o enviado especial da ONU, Lakhdar Brahimi, listas de pessoas que eles querem que sejam incluídas em uma pequena administração interina e em um conselho supremo mais representativo.

Segundo Fawzi, foi proposta a criação de um corpo executivo com 15 a 25 integrantes, e um conselho maior, com mais de 200 pessoas que cumpririam um papel parlamentar.

O papel do ex-rei afegão, Zahir Shah, também está sendo discutido durante a conferência.

Os delegados participantes da conferência concordam que o ex-rei – que vive em Roma desde 1973 – deve agir como uma figura unificadora no Afeganistão. Mas as opiniões de como ele deve agir diferem.