ONU cobra de Assad a implementação do plano de paz na Síria

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de março de 2012 as 09:31, por: cdb

Renata Giraldi*
Repórter da Agência Brasil

 

Brasília – O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, cobrou do presidente da Síria, Bashar Al Assad, a imediata implementação do plano de paz, proposto pela ONU e a Liga Árabe durante visita de Kofi Annan a Damasco, no começo deste mês. O plano pede o urgente o cessar-fogo, autoriza a entrada de ajuda humanitária e incentiva a busca pelo diálogo político.

A estimativa é que cerca de 9 mil pessoas morreram na Síria em decorrência da repressão aos protestos. O plano define seis etapas, na quais há também a retirada das tropas de áreas civis em diferentes cidades do país. Ontem (27), a Síria anunciou que vai adotar a proposta apresentada por Annan. Mas a comunidade internacional reagiu com ceticismo.

Nesta manhã, a alta comissária das Nações Unidas para Direitos Humanos, Navi Pillay, condenou as forças de segurança leais a Assad e disse que os militares agem de forma “deliberada e sistemática” contra as crianças.

“Esse é um dos desdobramentos mais chocantes da reação do governo sírio aos protestos [antigoverno]”, disse Pillay. “Eles [os militares das forças de segurança] estão indo atrás das crianças”, acrescentou.

Em seguida, Pillay disse que há provas, obtidas pela comissão de investigação, que conversou com pais e vítimas. De acordo com ela, há relatos de crianças que disseram ter levado tiros no joelho, foram presas em condições desumanas, sem acesso a medicamentos, sendo alvo de “brutalidade”. “É horrível”, definiu a comissária.

 

*Com informações da BBC Brasil   //    Edição: Lílian Beraldo