ONU: aspectos mais negativos no Brasil são socioeconômicos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 18 de janeiro de 2005 as 18:55, por: cdb

O Relatório Nacional de Acompanhamento, divulgado nessa terça-feira pela Organização das Nações Unidas (ONU), mostra que os aspectos mais negativos do Brasil são socioeconômicos, como renda, saúde, educação e meio ambiente.

– Há inúmeras áreas em que o Brasil está atrasado, tanto no domínio ambiental, quanto no da igualdade de gêneros e em certas áreas de saúde. Por exemplo, a hanseníase continua um problema – destacou o coordenador da ONU no Brasil, Carlos Lopes.

De acordo com o relatório os bolsões de pobreza ainda são uma realidade no país. Entre as regiões atrasadas, a ONU destaca o Nordeste, “pela vulnerabilidade à seca e uma longa história de concentração da posse da terra”. A região é comparada, no documento, à China, ao sul do México e ao estado do Ganges, na Índia.

Para o diretor da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Armand Pereira, há apenas uma maneira de combater a pobreza.

– O veículo principal para a redução da pobreza terá que ser a melhoria de oportunidades de emprego e renda – afirmou.

No entanto, segundo ele, isso não depende apenas da ação do governo.

– Depende do diálogo social melhorado com as organizações de empregadores, trabalhadores e de parcerias entre sociedade civil e essas organizações – explica.

O texto do relatório também indica que é preciso “garantir que investimentos essenciais em infra-estrutura, capital humano e administração pública sejam canalizados para as regiões atrasadas, inclusive para favelas e grupos sociais excluídos do processo político e dos benefícios econômicos”.

Apesar das críticas, a ONU elogia os esforços para melhorar as condições de vida nas favelas. O Estatuto das Cidades, investimentos da Caixa Econômica Federal nos setores de baixa renda e as ações de microcrédito também são citados de forma positiva no relatório.

O estudo sugere que o país contribua com a capacitação de profissionais em países africanos de língua portuguesa.

– Os países de renda média devem enfrentar o desafio de concluir o processo de erradicação da pobreza extrema em seu território e ao mesmo tempo fazer parte do grupo de países doadores.

De acordo com o relatório da ONU, na maioria dos grandes países de renda média existem bolsões de pobreza que devem ser eliminados.