ONG reclama ‘sumiço’ de US$ 4 bilhões no Iraque

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 23 de outubro de 2003 as 10:41, por: cdb

A ONG britânica Christian Aid acusou a Autoridade Provisória da Coalizão, liderada pelos Estados Unidos e que governa o Iraque, de não ter prestado contas sobre como foram gastos US$ 4 bilhões (quase R$ 12 bilhões) no Iraque.

Os recursos envolvem receitas de petróleo e outras destinadas à reconstrução do país, segundo a Christian Aid.

De acordo com o porta-voz da ONG, Dominic Nutt, não está sendo sugerido que há delito, mas “a falta de transparência” está criando desconfianças entre iraquianos.

O porta-voz da autoridade, Charles Heatley, rejeitou as observações da ONG e disse que os números estão errados. Ele disse que o orçamento do Iraque está disponível na internet e que a contabilidade da autoridade pode ser analisada por um auditor independente internacional.

Doadores

A discussão da Christian Aid com a Autoridade Provisória da Coalizão coincide com a abertura da conferência de doadores para o Iraque nesta quinta-feira em Madri pelo secretário-geral da ONU, Kofi Annan.
O secretário disse que ajuda em escala monumental é necessária para reconstruir o Iraque e instou os doadores para que sejam generosos.

A ONU e o Banco Mundial estimam que serão necessários US$ 56 bilhões (mais de R$ 160 bilhões) para a reconstrução do país nos próximos quatro anos.

Annan disse que, depois de décadas de sofrimento sob Saddam Hussein, agora é o momento de esperança para os iraquianos, que “não devem ser abandonados” pela comunidade internacional.

Recursos

Mas Katya Adler, correspondente da BBC em Madri, disse que as expectativas são baixas.

Segundo ela, países que se opuseram à invasão do Iraque estão relutantes em pagar pela reconstrução.

França, Rússia e Alemanha não prometeram novos recursos e a instabilidade no Iraque preocupa outros doadores em potencial, de acordo com a repórter.

Países ricos em petróleo do Oriente Médio ainda estão cautelosos, segundo ela.

Os Estados Unidos já se comprometeram a repassar US$ 20 bilhões do total estimado para reconstrução.

A ministra das Relações Exteriores da Espanha, Ana Palacio, disse que a reunião de doadores mostraria que a comunidade internacional está determinada a não abandonar o povo iraquiano.