ONG pede cota para negros em bolsas do Ciência sem Fronteiras e em concursos públicos federais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 26 de março de 2012 as 11:58, por: cdb

Yara Aquino
Repórter da Agência Brasil

Brasília – No primeiro dia de exercício interino da Presidência da República, hoje (26), Marco Maia recebeu manifestantes que iniciaram uma greve de fome em frente ao Palácio do Planalto. Eles reivindicam mais políticas públicas para os negros. Normalmente, os grupos que fazem manifestações em frente ao Planalto são recebidos pela Secretaria-Geral da Presidência da República, responsável pela interlocução com os movimentos sociais.

Os integrantes da organização não governamental Educafro, que busca a inclusão de pobres e negros na educação, deixaram a reunião no Palácio do Planalto determinados a encerrar a greve de fome. “O encontro superou nossas expectativas. O presidente em exercício se colocou aberto para atender nossas propostas e encaminhá-las aos ministérios”.

Na pauta de reivindicações está o pedido para que se garanta a presença de negros entre os 100 mil bolsistas do programa Ciência sem Fronteiras, que vai bancar a ida de estudantes brasileiros para cursos de pós-graduação em instituições renomadas de ensino no exterior. Os manifestantes também pediram que seja garantida uma cota aos afrodescendentes nos concursos públicos do governo federal.

Edição: Vinicius Doria