OMS diz que o mundo estará livre da Sars em três semanas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 27 de junho de 2003 as 09:58, por: cdb

A Organização Mundial da Saúde (OMS) disse na sexta-feira que em duas ou três semanas o mundo estará livre da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars, na sigla em inglês), mas alertou que a doença pode voltar à China no final do ano, durante o inverno.

David Heymann, diretor da OMS para doenças notificáveis, disse à Reuters que Taiwan e Toronto – as duas regiões ainda consideradas de risco – devem ser declaradas livres da doença até a primeira semana de julho.

– Parece que já tivemos o pico da epidemia em todos os países – disse Heymann, que está em Bangcoc para uma reunião de ministros da Saúde da Ásia e do Pacífico.

– Todos os países devem ser declarados livres da Sars dentro de duas ou três semanas. Acreditamos que a Sars terá deixado as populações humanas.

A doença, que pode ter sido transmitida de animais para humanos no sul da China no final de 2002, matou mais de 800 pessoas e infectou cerca de 8.500 em todo o mundo. Ela afetou o desempenho econômico, especialmente na Ásia, e provocou bilhões de dólares em prejuízos.

Hong Kong e China, os lugares mais afetados pelo vírus, foram declarados livres da doença neste mês pela OMS. O mesmo deve acontecer com Taiwan e com Toronto (Canadá) se novos casos não forem diagnosticados até o começo de julho. Quando isso acontecer, “poderemos dizer que a transmissão foi interrompida nas populações humanas”, disse Heymann.

Os países deixam a lista de risco quando ficam 20 dias consecutivos sem notificar um novo caso – o dobro do tempo de encubação do vírus.

Segundo a OMS, o último paciente de Sars em Taiwan foi isolado em 15 de junho.

– Esse é o período de maior perigo, como já demonstrou o Canadá, que saiu da lista de países atingidos e depois teve um novo pico. A palavra agora é vigilância – afirmou Heymann.

Segundo ele, a partir de novembro ou dezembro, quando começa o inverno chinês, há chance de nova contaminação de animais para humanos. Por isso, ele disse que os esforços de Pequim na prevenção serão o principal foco de atenção da reunião ministerial do fim-de-semana na Tailândia.

– O que não sabemos é se (a doença) será cíclica ou sazonal.