Ocidente apóia tática russa para retirada de reféns de teatro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 28 de outubro de 2002 as 23:37, por: cdb

A Casa Branca responsabilizou os rebeldes chechenos pelas mortes de civis na operação de resgate dos reféns do teatro de Moscou.

O presidente George W. Bush “entende que os terroristas é que são os culpados”, disse o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer, depois que 115 reféns morreram na operação de resgate que ocorreu na última sexta-feira.

Informações de que praticamente todas as vítimas morreram por causa de um controvertido gás usado pelas tropas russas para controlar os guerrilheiros suicidas chechenos provocaram uma onda de revolta em Moscou.

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos classificou o gás como um derivado do ópio.

Terrorismo internacional

Mas a atitude severa do presidente russo Vladimir Putin foi endossada pelo primeiro-ministro britânico, Tony Blair que, na segunda-feira disse que “não há soluções fáceis, sem risco ou seguras” em situações como essa.

Blair relacionou o ataque em Moscou, em que os rebeldes se indentificavam como guerreiros islâmicos, à ampla guerra travada pelo terrorismo e a eventos como o atentado em Bali e o assassinato de um diplomata americano na Jordânia.

Enquanto a Rússia vivia um dia de luto oficial, na segunda-feira, o presidente Putin também falou da ameaça do “terrorismo internacional”.

“Aqui, e em várias partes do mundo, nós tomamos conhecimento das ameaças feitas pelos terroristas sobre a utilização de meios comparáveis às armas de destruição em massa”, disse o presidente russo.