Observatório Municipal Jean Nicolini completa 35 anos em janeiro

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 26 de janeiro de 2012 as 18:08, por: cdb

Observatório Municipal Jean Nicolini completa 35 anos em janeiro

26/01/2012 – 17:43

  

 Tiago de Souza
 

“A data é resultado de muita dedicação de pessoas que amam a ciência e a astronomia e fazem do seu trabalho um objetivo de vida”. Com essa constatação, o astrônomo Orlando Rodrigues Ferreira, supervisor do Observatório Municipal de Campinas “Jean Nicolini” (OMCJN), define os 35 anos que o Observatório completa no mês de janeiro.

Consolidado como um dos principais locais de observação do céu do Brasil, o OMCJN foi inaugurado no dia 15 de janeiro de 1977, no Monte Urânia, na Serra das Cabras, no distrito de Joaquim Egídio.

O primeiro e principal instrumento que equipou o Observatório foi o telescópio de 600mm da empresa americana Group, denominado, desde 1991, de Telescópio JTC-600, em homenagem ao engenheiro e físico Dr. Júnior Torres de Castro, pioneiro da astronáutica no Brasil e que muito auxiliou a participou das atividades do OMCJN.

O nome “Jean Nicolini” foi uma homenagem a um dos co-fundadores do Observatório, falecido em 1991, por meio de uma justa homenagem prestada pelo então secretário municipal de Cultura, Esportes e Turismo, o professor Célio Roberto Turino de Miranda.

“É uma história rica que merece ser sempre exaltada, porque foi construída por pessoas lutadoras e idealistas. São esses servidores e colaboradores que merecem os parabéns nessa data especial para a cidade de Campinas”, diz o secretário de Cultura, Flávio Sanna.

Patrimônio da cidade

Depois de aberto o estudo de tombamento perante o Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas (Condepacc), como outra importante fase de sua história, o OMCJN passou a integrar a listagem dos patrimônios históricos e culturais tombados do município, conforme a Resolução no 15/94, de 7 de julho de 1994.

As características e a função do OMCJN passaram a ser preservadas como espaço exclusivamente dedicado às ciências astronômicas e afins. O tombamento também e importante no resguardo da qualidade do céu ao protegê-lo da poluição atmosférica, luminosa e de outros prejuízos.

Futuro

O OMCJN almeja construir um novo pavilhão com telescópio adaptado para portadores de necessidades especiais. Além disso, há a necessidade de restaurar um pavilhão que abrigará o telescópio refrator de 150mm de abertura óptica adquirido em 2009, o qual proporcionará também observações solares em luz integral com a utilização de filtro apropriado já comprado e em hidrogênio alfa (Ha).

Há ainda a previsão de melhorias no sistema externo de iluminação-guia (vermelha), permitindo maior segurança aos visitantes e controle eficiente da poluição luminosa (a grande inimiga da Astronomia), principalmente evitando o desperdício de energia.