Obras da Petrobras é paralisada pela greve de metalúrgicos

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 30 de setembro de 2003 as 17:32, por: cdb

Cerca de 80% dos quase 4.900 funcionários do Estaleiro Brasfels, ligados ao sindicato dos Metalúrgicos de Angra dos Reis, estão em greve desde a manhã desta segunda-feira. Com isso, estão paradas as obras da plataforma P-48, da Petrobras, uma FPSO com capacidade para processar 160 mil barris de petróleo e cuja entrega estava marcada para novembro. A notícia sobre a greve preocupou a direção da Petrobras.

A paralisação também deve atrasar as obras de dois navios-plataforma de apoio (PSV), encomendados pela Maersk, cujo início estava previsto para novembro, e também a obra do navio de apoio para manuseio de âncoras (HTS), encomenda pela Delba Marítima.

O Brasfels arrenda as instalações do Verolme e foi classificado para a licitação da plataforma P-52, da Petrobras. Os metalúrgicos querem cerca de 20% de aumento salarial, o que inclui a correção integral dos salários pelo INPC de outubro de 2002 a setembro de 2003, além de aumento real de 4%, sendo 2% em maio de 2004, entre outros benefícios. A direção da Brasfels ofereceu cerca de 11%, mais 2% em maio do próximo ano, porém a proposta não foi aceita.