OAB-SP não concorda com a greve anunciada por juízes

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 22 de julho de 2003 as 17:17, por: cdb

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, secção São Paulo, Carlos Miguel Aidar, emitiu nota, nesta terça-feira, criticando a “intransigência” de parte da magistratura, que decidiu realizar paralisação para protestar contra a reforma da Previdência.

Segundo Aidar, o impasse fará dois grandes perdedores: a população, que verá protelada a reparação de seus direitos pleiteados na Justiça, e o Judiciário, que terá um desgaste de imagem e comprometerá a normalidade jurídica do país.

– A anunciada paralisação dos juízes de primeira e segunda instâncias contra a reforma do Judiciário é um fato grave com repercussões negativas para o Estado Democrático de Direito, uma vez que pode levar a um conflito entre os Poderes e a uma quebra da normalidade jurídica do país, com reflexos danosos para a sociedade e as instituições – escreveu Aidar.

Para ele, “no momento, é imprescindível que o governo Lula se mobilize para evitar que se instaure o caos no Judiciário brasileiro, com a suspensão de milhões de audiências”.