OAB divulga nota de repúdio ao crime contra ativista americana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 13 de fevereiro de 2005 as 13:57, por: cdb

O presidente da Comissão Nacional de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Edísio Simões Souto, divulgou na tarde deste domingo nota lamentando o assassinato da missionária americana Dorothy Stang, no Pará, onde afirma que “é chegado o momento do Estado brasileiro, que já viola os direitos humanos, passar a dar garantias e adotar providências para que pessoas dedicadas aos direitos humanos possam continuar a lutar pela causa e tenham assegurada a sua integridade física”.

Leia abaixo a íntegra da nota da OAB:

“Vemos com tristeza e indignação o assassinato da Irmã Dorothy Stang, ocorrido neste sábado no Estado do Pará, vítima de emboscada. Com tristeza, porque os trabalhadores do Pará estão mais frágeis, uma vez que perderam uma aliada muito forte, que lutava pelos direitos dos mesmos e, de forma geral, pelo respeito aos direitos humanos, algo, infelizmente, que está sendo esquecido com muita freqüência naquele estado. E com indignação porque é mais um companheiro de luta pelos direitos humanos que sacrifica a sua própria vida em prol da causa, em favor da dignidade da pessoa humana. É chegado o momento do Estado brasileiro, que já viola os direitos humanos, passar a dar garantias e adotar providências para que pessoas dedicadas aos direitos humanos possam continuar a lutar pela causa e tenham assegurada a sua integridade física. Que a morte da Irmã Dorothy, que já recebeu um prêmio de direitos humanos na OAB do Pará, seja o termo inicial para a adoção de tais providências”.