O Morumbi vai tremer

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 7 de dezembro de 2002 as 23:53, por: cdb

O Morumbi irá tremer. Afinal, a partir deste domingo, dois dos mais tradicionais rivais do país decidirão o Campeonato Brasileiro. De um lado, respaldado pela experiência e um grupo comprovadamente vencedor, o Corinthians. Do outro, o jovem e surpreendente Santos, sensação da competição.

O primeiro duelo, com início previsto para às 17h, é cercado de muita expectativa. Além da disputa por ingressos e a troca de provocações entre os jogadores, os bastidores também agitaram o clássico. O fato da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) vetar a Vila Belmiro levou o técnico Émerson Leão ao desespero.

Em campo, o que se espera é o confronto entre Diego e Robinho x Gil, Deivid, Guilherme e companhia. Os dois primeiros, integrantes de um time que foi formado para fugir do rebaixamento, lutarão para devolver um título ao Peixe após 18 anos. (o último foi o Paulista, em 1984). O trio, por sua vez, espera manter a hegemonia do Corinthians em 2002.

No entanto, o alvinegro do litoral terá que superar seu maior adversário e, por tabela, reverter a vantagem corintiana. Por ter feito melhor campanha na primeira fase, o Timão joga por dois resultados iguais.

E não será nada fácil. O Corinthians, campeão da Copa do Brasil e do Rio-São Paulo, provou que sabe melhor do que ninguém administrar o regulamento, quando este está ao seu favor. Foi assim no primeiro semestre.

Isso preocupa o jovem Santos? Os confrontos do Brasileirão mostraram que não. Para chegar à decisão, o time de Leão desbancou o favorito São Paulo com duas vitórias nas quartas-de-final e o poderoso Grêmio, com um resultado positivo e outro negativo nas semifinais.

Além disso, o elenco da Baixada garantiu ao clube a participação na Taça Libertadores da América de 2003, algo que não acontece há 19 anos. De desacreditados, os jogadores já sentem que as chances de sagrarem-se campeões são reais.

Nesta primeira partida como visitante, o Corinthians vai usar sua experiência e tarimba (mesmo ainda sendo um time repleto de jovens talentos) como principal arma.

“Espero que a nossa vivência pese na decisão. Mas o Santos provou que está pronto também para decidir, já que eliminou duas grandes equipes. Acredito que a maturidade deles chegou e os garotos não irão tremer”, disse o atacante Guilherme.

Já Parreira, que nesta final se encontra com o amigo Leão, prefere adotar um discurso cauteloso. Ele não aposta tanto na experiência corintiana, pois mostra saber que do outro lado ele irá enfrentar uma equipe em busca de afirmação.

“Eles provaram que a falta de experiência não está atrapalhando. Na hora de decidir, eles estão se portando muito bem. Mostraram isso quando enfrentaram o São Paulo, que era um dos favoritos, e o Grêmio”, afirmou.

Equipes

Tanto Santos como Corinthians terão problemas para o primeiro jogo da decisão. Pelo lado santista, o lateral-direito Maurinho e o zagueiro André Luís desfalcam o time por terem recebido o terceiro cartão amarelo.

Michel e Preto, os substitutos naturais, assumem as posições. Pelo lado corintiano, a maior perda é o volante Vampeta, que levou oito pontos no joelho esquerdo após sofrer um corte no local em um lance com o atacante Roni, do Fluminense.

O zagueiro Scheidt deve ser improvisado na posição do baiano e Fabrício entra no lugar de Fabinho, o outro desfalque, desta vez por suspensão.

SANTOS x CORINTHIANS

Data: 8/12/2002 (Domingo)
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Horário: 17h
Arbitragem: Antônio Pereira da Silva (FIFA GO)
Auxiliares: Jorge Paulo de Oliveira Gomes (FIFA DF) e Aristeu Leonardo Tavares (FIFA RJ)
Transmissão: Globo, Record e Sportv

Santos
Fábio Costa; Michel, Preto, Alex e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano e Diego; Robinho e Alberto.
Ténico: Emerson Leão.

Corinthians
Doni; Rogério, Fábio Luciano, Anderson e Kléber; Scheidt, Fabrício e Renato; Deivid, Guilherme e Gil.
Técnico: Carlos Alberto Parreira.