O Iraque destrói mais mísseis e aplaude a oposição mundial à guerra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 9 de março de 2003 as 15:11, por: cdb

O Iraque destruiu este domingo seis outros mísseis Al Samud-2 sob supervisão dos inspetores da ONU e, ao mesmo tempo, acolheu com satisfação os protestos mundiais contra a guerra.

O chefe do Organismo de Controle Nacional, encarregado das relações com os inspetores de armas da ONU, general Hossam Mohamed Amin, por sua vez, afirmou este domingo, durante coletiva de imprensa em Bagdá, que os mais de três meses de inspeções no Iraque provaram que o país não tem mais armas de destruição em massa, ao contrário do que afirmam os Estados Unidos e a Grã-Bretanha.

“Todas as acusações americanas e britânicas são mentiras e alegações infundadas”, acrescentou.

Por sua parte, o presidente iraquiano, Saddam Hussein, que multiplica durantes estes dias as reuniões com os comandos militares, parabenizou os esforços que estes realizam para “reforçar as capacidades de combate” dos iraquianos.

O chefe de Estado pronunciou estas palavras durante uma reunião na qual participaram seus dois filhos, Qussai e Udai, que dirigem, respectivamente, as unidades de elite do regime e os corpos paramilitares dos “Fedayin de Saddam”, além dos ministros da Industrialização militar, Abdeltawan Al Molá Howeish, e da Defesa, sultão Hamen Ahmed.

A imprensa de Bagdá estimava este domingo que a existência de opositores à guerra dentro do Conselho de Segurança, assim como os protestos mundiais contra uma intervenção armada americana desautorizam a política iraquiana do presidente americano George W. Bush e do premiê britânico Tony Blair.