O Correio do Brasil completa mil dias

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 28 de setembro de 2003 as 16:00, por: cdb

O Correio do Brasil chegou a sua milésima edição. Mil dias atrás, começamos a caminhar na direção de um novo diário para o país, capaz de reunir jornalistas, pensadores, artistas, trabalhadores daqui e do exterior. Este espaço conta, hoje, com assinantes neste boletim que distribuímos, diariamente, para nossos leitores em todos os Estados brasileiros e em países como a França, Inglaterra, Alemanha, Noruega e Portugal, entre outros na Europa; São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, África do Sul e Nigéria, na África; Canadá, EUA, México, Venezuela, Peru, Chile, Bolívia e Argentina, entre os principais nas Américas.

 

Agradecemos aos mais de 40 mil visitantes diários às páginas deste jornal que, dia após dia, cresce junto com o Brasil. Acreditamos que nosso país construirá o seu desenvolvimento, apesar das armadilhas lançadas por interesses escusos e contrários à verdadeira democratização brasileira, que passa muito distante do simples direito de escolher os seus governantes. O Correio do Brasil, nestes mil dias que completamos hoje, e nos tantos outros mil dias que com certeza virão, teve e terá um único compromisso: o de informar o público e levar aos nossos leitores os principais fatos da vida nacional e tudo de relevante que acontece no exterior, junto com a opinião de quem ajuda a construir a real democracia neste país.

 

Sabermos que a nossa jornada, iniciada há mil dias, ainda está no começo, mas acreditamos – com a mesma fé de que o sol nasce a cada alvorecer – que o Brasil se lançou na busca de sua própria identidade, deixando de lado as fórmulas alienígenas que, ao longo destes mais de 500 anos de história, serviram apenas para espoliar e dilapidar o patrimônio nacional. Hoje, sabemos que o país irá assestar sua mira na direção da justiça social e da distribuição mais justa de suas riquezas, para que possamos atingir, no menor espaço de tempo possível, o limiar do desenvolvimento pleno e da máxima capacidade de produção que este povo enseja. Ainda que nossa vela seja pequena diante do que será no futuro, e oxalá os bons ventos nos levem, ela é verde-amarela e está desfraldada em sua plenitude para acompanhar esta odisséia.

 

A todos que hoje integram este diário, nossos colaboradores, designers, repórteres, correspondentes, redatores, colunistas e editores, nosso aplauso, de pé, pois integram o corpo valoroso do Correio do Brasil, sem o qual o sonho sonhado há mil dias jamais teria se materializado.


Obrigado a todos.

Gilberto de Souza é editor-chefe do Correio do Brasil