Número de baixas dos EUA na ocupação já supera o da guerra

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 29 de outubro de 2003 as 11:14, por: cdb

Dois soldados norte-americanos foram mortos em um ataque ao norte de Bagdá na noite de terça-feira, disseram na quarta militares dos Estados Unidos. Com essas mortes, o número de baixas das tropas dos EUA em ações hostis no Iraque ultrapassou o das ocorridas durante a guerra.

Um porta-voz da 4a. Divisão de Infantaria do Exército afirmou que os dois soldados foram mortos e um outro ficou ferido quando o carro em que estavam atingiu uma bomba em uma estrada.

As tropas dos EUA perderam 116 combatentes em ações hostis desde que Washington declarou, em 1o. de maio, encerrados os principais combates da guerra. Durante o conflito liderado pelos EUA, morreram 115 soldados do país, segundo cifras oficiais.

Nos últimos ataques da resistência foram atingidas posições americanas em Mosul, Tikrit e Kirkuk, no chamado “triângulo sunita”, ao norte de Bagdá.

Em uma de suas mais recentes declarações sobre o Iraque, o presidente dos EUA, George W. Bush, garantiu que seu país não vai se intimidar pela onda de violência no país.

Iraquianos mortos

Ao contrário da contagem do número de mortes do lado americano, que é atualizada diariamente pelo próprio Comando Central, as baixas iraquianas, de militares e civis, permanecem mais nebulosas.[

Tentando esclarecer esses dados, um grupo independente de pesquisadores americanos realizou um estudo que revela que entre 19 de março e o final de abril 13 mil iraquianos morreram na guerra do Iraque.

O estudo, realizado pelo Projeto de Alternativas de Defesa, destaca que seus dados são baseados em informações dos Estados Unidos sobre os combates, notícias da imprensa no local e estatísticas de hospitais iraquianos.

O Pentágono não divulgou um número oficial de mortos iraquianos na guerra.

No Iraque, “um informe e análises do material disponível mostra que entre 11.000 e 15.000 iraquianos, combatentes e não-combatentes, morreram nas principais operações militares” da coalizão anglo-americana, destacou o estudo. Deste total, acrescentou, 4.300 eram civis.

O Projeto de Alternativas de Defesa fica em Cambridge, Massachusetts.