Núcleo da inflação alto pode adiar decisão de baixar juros, diz FGV

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 10 de junho de 2003 as 18:01, por: cdb

Mesmo com a desaceleração dos preços ao consumidor e a deflação no atacado em maio, a decisão de baixar os juros deve ser adiada.

A avaliação, do coordenador de análises econômicas da FGV, Salomão Quadros, se baseia no resultado do núcleo da inflação ao consumidor, que indica ainda uma resistência à queda da inflação. Para calcular o núcleo da inflação, a FGV retira do IPC (Índice de Preços ao Consumidor) 20% das maiores altas e 20% das maiores.

O núcleo do IPC ficou em 1,05%, pouco abaixo da variação de 1,20% registrada em abril. Além disso, o núcleo em maio ficou acima do IPC, cuja alta foi de 0,69%. O IPC em abril apresentado alta de 1,12%.

– Não houve desaceleração generalizada. A inflação, livre das influências pontuais, está caindo muito lentamente. Isso torna mais difícil que haja redução de juros nas próxima reunião do Copom – disse o economista da FGV.

Segundo ele, o núcleo caiu “muito pouco” e isso pode fazer com que a decisão de baixar os juros “seja jogada para frente”. O IGP- DI de maio registrou queda de 0,67% em maio, puxada pela deflação de 1,68% no atacado.