Novo prédio da Seas integra assistência social e saúde

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012 as 14:27, por: cdb

Integração aos serviços de saúde é uma das novidades da nova sede da Seacolhe-AIF (Seção de Acolhimento e Abrigo Provisório de Adultos, Idosos e Famílias em Situação de Rua), chamada de Casa Aberta/Plantão Social. Após reforma, o imóvel alugado na Rua Bitteconourt 309/311, na Vila Nova, foi inaugurado nesta segunda-feira (27) pela prefeitura, com a presença de autoridades municipais e alguns usuários, que já puderam usufruir dos serviços, até então prestados na Praça Iguatemi Martins s/nº.

Na prática, a Seacolhe passa a oferecer enfermagem, triagem e encaminhamento a médicos. O prefeito João Paulo Tavares Papa ressaltou o salto de qualidade no atendimento da assistência social com a entrega do equipamento integrado à área de saúde “O importante é acolher com segurança, entender e interpretar as razões que levam uma pessoa a condição de exclusão e, ao mesmo tempo, dar a ela condições mínimas para que com saúde possa encontrar um emprego, um caminho na vida”.

Com funcionamento 24 horas e capacidade ampliada de 50 para 80 pessoas, a Seacolhe atende pessoas que vivem nas ruas ou estejam em trânsito, enquanto aguardam o retorno para a cidade de origem. O novo espaço, com dois andares, oferece melhor acolhimento, mais privacidade e higienização.

No térreo, em 11 quartos, ficarão mulheres, deficientes físicos e idosos. Cada quarto tem uma beliche e duas camas de solteiro. No andar superior estão 15 quartos para os homens, cada um com três beliches. No mesmo piso, há mais três dormitórios para as famílias, cada com cama de solteiro, berço e duas beliches, além de banheiro com fraldário.

A unidade dispõe ainda de banheiros e chuveiros, inclusive para deficientes, guarda-volumes, refeitório ampliado, lavanderia, salas para técnicos, salão para atividades em grupo e terapia comunitária e espaço ecumênico. Os usuários encontram ainda atividades de sociabilidade, inclusão social, reinserção familiar e no mercado de trabalho, por meio do Programa Municipal de Inclusão Cidadão Fênix, além de receberem material de higiene pessoal para banho e alimentação (café da manhã, almoço, lanche e jantar).

Entre eles estava o paulistano Nilson Moaraes Neri, de 50 anos, que diz se sentir seguro com o atendimento. “Na rua você acaba usando álcool e drogas, e aqui nem penso nisso”, disse ele. E acrescentou: “Pelo jeito aqui está bem melhor. Na Casa Aberta já consegui tirar meus documentos e agora sei que terei ajuda para recuperar os movimentos das minhas pernas”.

No descerramento da placa de inauguração, o padre Valfran dos Santos, da Paróquia São João Batista (Morro da Nova Cintra), abençoou o imóvel.