Nova liderança chinesa deve manter políticas atuais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 15 de novembro de 2002 as 14:36, por: cdb

O vice-presidente da China, Hu Jintao, foi nomeado o novo líder do Partido Comunista nesta sexta-feira, um dia depois do encerramento do congresso do partido. Ele também substituirá o ex-líder partidário, Jiang Zemin, na presidência do país, em 2003.

“Este é um encontro que abre um novo capítulo para o futuro”, disse Hu Jintao.

O atual presidente, Jiang Zemin, deve, porém, manter uma grande influência nos rumos do país. Cinco de seus aliados foram indicados para a liderança do Politburo (o principal comitê partidário), e ele foi reeleito chefe da comissão que controla as Forças Armadas.

Analistas dizem que, na realidade, a troca de liderança não deverá provocar reformas políticas de muito peso.

Supresas

Depois de semanas de especulução, correspondentes da BBC dizem que o resultado ainda provocou algumas surpresas. O grupo que lidera o Politiburo, por exemplo, aumentou de sete para nove membros.

Os correspondentes da BBC dizem que o aumento no número de dirigentes do Politiburo reflete a tentativa dos velhos líderes de deixar no poder alguns de seus aliados.

Dentro desse grupo de liderança do Politiburo, normalmente, o mais veterano tem mais poder. Analistas acreditam, no entanto, que, além de Hu Jintao, dois outros dirigentes devem ter mais influência.

Um deles é Zeng Qinghong, aliado e conselheiro do atual presidente Jiang Zemin.

O outro é Wen Jiabao, um tecnocrata, que deverá ser o responsável pela economia do país.

Inlfuência de Jiang

A influência que o atual presidente deverá ter no próximo governo poderá ajudá-lo a proteger os interesses de sua família e significará que poucas políticas serão mudadas.

Pouco se sabe de Hu Jintao, de 59 anos, que tem feito questão de defender as idéias de Jiang Zemin, em vez de falar das suas.

Ele é visto como um símbolo da nova geração de líderes da China, mais jovens e melhor formados. Hu deverá incentivar novos empresários, ao mesmo tempo em que tentará evitar uma instabilidade social.

“Nós realmente acreditamos que a China de amanhã será melhor. Nós corresponderemos às expectativas do partido e das pessoas de todo o país”, disse Hu.

Ele também se referiu a Jiang Zemin por preparar o caminho para a sua liderança e para o futuro do partido.