‘Nossa guerra não é para matar ninguém é para salvar vidas’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 30 de janeiro de 2003 as 17:37, por: cdb

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse há pouco que o governo não vai permitir que o programa Fome Zero seja atropelado por uma avalanche de doações que precisam ser corretamente organizadas.

No discurso de lançamento do programa e de instalação do Conselho de Segurança Alimentar (Consea), no Palácio do Planalto, o presidente ressaltou que, num país com as dimensões do Brasil, “iniciar qualquer campanha de coleta de alimentos é uma verdadeira operação de guerra”.

Lula destacou que a coleta e distribuição devem ser feitas com muito cuidado e planejamento, para que todo os objetivos sejam atingidos.

Ao final do seu discurso, Lula citou o autor do clássico “Geografia da Fome”, Josué de Castro. “Fome e guerra não obedecem a qualquer lei natural – são criações humanas”.

O autor da frase, médico e geógrafo pernambucano, foi o fundador e primeiro presidente do Fundo das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO). Josué de Castro foi indicado por duas vezes ao prêmio Nobel da Paz. Lula encerrou seu discurso dizendo que o Brasil precisa vencer a fome, a miséria e a exclusão social.

“Nossa guerra não é para matar ninguém, é para salvar vidas”, afirmou.