Nasa demitiu grupo de especialistas que teria advertido sobre segurança

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 4 de fevereiro de 2003 as 00:22, por: cdb

Em 2002, depois que uma comissão de especialistas da Nasa advertiu sobre os problemas de segurança que se apresentavam para a frota de ônibus espaciais, a Nasa afastou cinco dos nove membros da comissão e dois de seus consultores. Alguns deles agora afirmam que a agência estava tentando suprimir suas críticas.

Um sexto membro, um almirante reformado, Bernard M. Kauderer, ficou aborrecido com as demissões e também deixou o grupo, o Painel de Assessoria sobre Segurança Aeroespacial da Nasa, um grupo de especialistas e acadêmicos encarregado de monitorar a segurança na agência espacial.

A Nasa afirma ter alterado a composição do grupo para que os novos membros, mais jovens e capacitados, pudessem ser acrescentados. “A mudança em nada se relacionou com o relatório dos especialistas”, afirmou Sonja Alexander, porta-voz do QG da Nasa em Washington.

Os membros do Congresso que presenciaram o testemunho do painel na última primavera (no hemisfério norte) afirmaram no domingo que reexaminariam a possibilidade das limitações de orçamento terem prejudicado a segurança. Mas vários desses congressistas duvidavam dessa possibilidade. O governo Bush afirmou que proporia um aumento de US$500 milhões nos gastos da Nasa na segunda-feira, quando apresenta o orçamento federal para o Congresso, e que o aumento já havia sido planejado antes da destruição do Columbia.

Um dos especialistas afastados do painel descreveu exatamente o que estava acontecendo. “Nós estávamos expondo a situação e discordávamos de algumas das ações da agência”, afirmou o Dr. Seymour C. Himmel, um especialista em ônibus espaciais que atuou na comissão por duas décadas.

Os oito membros e consultores afastados do painel possuíam longa experiência com os sistemas dos ônibus espaciais e seus problemas. Em entrevistas no domingo, alguns deles afirmaram que a Nasa havia desenvolvido uma miopia institucional sobre as advertências, conselhos e indicações do painel.

O relatório mais recente da comissão de segurança, apresentado em março de 2002 e que incluiu análises dos seis membros afastados, afirmou que o trabalho sobre a segurança em longo prazo do Columbia “havia se deteriorado”. Os orçamentos menores, afirmou o relatório, estavam forçando a ênfase no planejamento de curto prazo. O painel pediu amplas mudanças.

“Eu nunca estive tão preocupado com a segurança do ônibus como eu estou agora”, afirmou o Dr. Richard D. Blomberg, presidente da comissão, ao Congresso em abril . “Todos os meus instintos sugerem que a atual aproximação está plantando as sementes para um perigo futuro”.