Naomi brilha e mostra sensualidade no Fashion Rio

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de janeiro de 2005 as 19:36, por: cdb

Brilho, sofisticação e diferentes texturas marcaram o segundo dia de desfiles do Fashion Rio, realizado no Museu de Arte Moderna (MAM). A maratona começou com a grife carioca Santa Ephigênia, que trouxe para a passarela batas compridas, casacos de chuva com detalhes em pêlo nas mangas e golas e jaquetas enfeitadas com broches.

Victor Dzenk, segunda grife a desfilar, mostrou uma coleção inspirada na Lituânia, e trouxe para o outono-inverno do Rio casacos de pele e gorros. A modelo britânica Naomi Campbell encerraria a noite pela TNG.

O desfile da TNG, de Tito Junior, que fechou o segundo dia de desfiles do Fashion Rio, levou a top inglesa Naomi Campbell à passarela. Naomi abriu a apresentação com um vestidinho cru, estampado com flores e pele sobre o ombro, deixando os seios quase à mostra, e fechou o desfile com uma saia cheia de brilhos, camisa branca e cinto, um look quase anos 50.

Os cariocas Luciano Canale e Marco Maia, que assinam a coleção da Santa Ephigênia, apostaram nos cintos largos e nas botas com cano alto e bico fino. Mantas assimétricas, coloridas e cachecóis de linha também compuseram o desfile, em que predominou o marrom e o verde. As saias vieram com rendas e babados.

O estilista Victor Dzenk buscou em suas origens o tema para o desfile – o sobrenome vem do país do leste europeu. A coleção abusou das malhas (tradicionalmente usadas pela grife), veludos, tafetás, crepes e couro em saias e vestidos rodados, que combinavam com meias calças coloridas. Destaque para os adereços que vinham amarrados às botas.

Terceira a apresentar-se, Patrícia Viera resgatou a moda do início do século passado, trazendo saias longas e retas, algumas com babados.

Folhas, flores e grãos foram as estampas predominantes. Para fugir do frio, tailleurs em diversos modelos, com fitas largas e laços na cintura. Tamb