Mulher de McCartney pede a Putin que proíba minas antipessoais

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 27 de maio de 2003 as 18:32, por: cdb

Heather Mills, mulher do ex-Beatle Paul McCartney, se disse “incrivelmente otimista” nesta terça-feira, com a conversa que teve no último sábado com o presidente russo, Vladimir Putin, pedindo a ele que proibisse as minas antipessoais.

A ex-modelo, que conversou durante 40 minutos com Putin, disse à imprensa que espera ter conseguido “um grande avanço” na luta contra as minas no mundo.

Conhecida ativista na mesma causa antes defendida pela princesa Diana, Mills acompanhou seu marido no último sábado no show dele em Moscou.

O casal foi recebido pelo presidente russo, que, antes de assistir ao show, os acompanhou num passeio turístico pelo Kremlin.

A mulher de McCartney aproveitou o momento para pressionar Putin a modificar sua política sobre o uso de minas em conflitos como o da Chechênia.

– Pedi ao presidente que tomasse a iniciativa, como segundo fabricante mundial de minas antipessoais, e que detivesse sua produção e seu uso. Destaquei a natureza desumana destas armas e perguntei a ele se não havia outra forma de satisfazer as necessidades de seu Exército – explicou Mills.

Mills, que perdeu uma perna num acidente de trânsito há 10 anos, é a principal promotora da associação Adopt a Minefield (Adote um campo de minas), dedicada a acabar com as minas e a ajudar as vítimas desses artefatos.

– A compaixão do presidente era óbvia – disse a mulher de McCartney, acrescentando que Putin lhe prometeu organizar uma reunião entre ela e o ministro da Defesa russo, Serguei Ivanov, para discutir o assunto mais a fundo.

O show de Paul McCartney foi a primeira apresentação na Rússia do ex-membro dos Beatles, depois que foi proibido de se apresentar na Praça Vermelha na década de 80.