Mulher cai de edifício e mata bancária

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 16 de novembro de 2003 as 21:38, por: cdb

A bancária Vânia Dias, de 45 anos, morreu neste sábado ao ser atingida por Fernanda France Almeida Ruivenhoven, de 50 anos, quando ela caiu do 12º andar de um prédio na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, entre as ruas Bolívar e Barão de Ipanema, no Rio de Janeiro, pouco antes das 13h.

A principal suspeita da polícia é de que Fernanda tenha se atirado da janela da casa da irmã, que preparava o almoço na hora do acidente. A delegada Anelise De Faria, da 13ª DP (Copacabana), vai iniciar uma investigação para saber se Fernanda cometeu suicídio.

A bancária caminhava com um dos dois filhos, um menino de cinco anos, e da mãe, Maria, a duas quadras de sua casa. O filho de Vânia, chocado, foi levado para dentro de uma farmácia que funciona ao lado da portaria do edifício e, em poucos minutos, o marido da vítima, Carlos Romero Lameira, já estava no local, de acordo com o jornal O Dia.

De acordo com vizinhos, Fernanda tinha um histórico de perturbações mentais. Já havia sido internada em instituições, tomava anti-depressivos e havia tentado o suicídio outras vezes.
Porteiro do edifício há 12 anos, Olavo Reginaldo, de 30 anos, assistiu a tudo e, ainda abalado, dizia ter sido salvo por pouco.

– Minha cota de sorte de toda a vida acabou hoje (domingo). Ela caiu a dois metros de mim. Podia ter sido eu – desabafou Olavo, que garante nunca ter visto nada de anormal com Fernanda.

A estudante Rose Costa, de 29 anos, moradora do prédio vizinho, estava saindo de casa quando aconteceu a tragédia. Segundo Rose, uma médica ainda tentou ajudar Vânia, no entanto, logo constatou que ela estava morta.

– Jamais vou esquecer o berro que ouvi da mulher que estava caindo e o desespero do garotinho chamando pela mãe – lamentou Rose ao jornal.