MST retoma invasões no Rio Grande para acelerar a reforma agrária

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 15 de outubro de 2001 as 15:11, por: cdb

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) invadiu quatro fazendas na manhã desta segunda-feira no Rio Grande do Sul. O objetivo da ação é pressionar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) a acelerar a desapropriação de terras e os assentamentos no Estado, disse Ivonete Tonin, uma das coordenadoras do MST no Estado. “Há três anos não há desapropriação de terras no Rio Grande do Sul”, afirmou Ivonete. “Isso é uma forma de estancar o processo”, acrescentou.

O MST informou que cerca de 200 famílias ocuparam a fazenda Três Pinheiros, de 1.640 hectares, em Lagoa Vermelha, no nordeste do Estado, a 260 quilômetros de Porto Alegre. Uma parte de sua área já é destinada a assentamentos, conforme o movimento. Outras 600 famílias participaram da invasão da fazenda Polar em Arroio dos Ratos, a 61 quilômetros da capital gaúcha. A propriedade tem 5.247 hectares. Em Pontão, quase 500 famílias ocuparam uma área de 2,8 mil hectares. Em Tupanciretã, 600 famílias invadiram a Estância Grande, de 5.881 hectares, no fim da manhã, segundo informou a assessoria de imprensa do MST.