MST: ‘Nossa luta é contra o latifúndio e não contra o governo’

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 24 de junho de 2003 as 14:41, por: cdb

O coordenador nacional do Movimento dos Sem-Terra, João Paulo Rodrigues, disse que as ocupações de terra vão continuar, apesar do apelo indireto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de paciência aos “afobados e apressados”, no discurso de lançamento do Plano Safra para a Agricultura Familiar.

– Vamos continuar as ocupações porque a nossa luta é contra o latifúndio e não contra o governo – disse Rodrigues.

Ele argumentou que até agora o governo não fez nenhum pedido oficial de trégua aos sem-terra, para iniciar as negociações.

– Estamos pacientes. Não há provocação em relação ao governo – afirmou.

Ele considerou que o Plano Safra para a Agricultura Familiar é amplo, mas não atende completamente as famílias nos assentamentos. Segundo ele, 90 mil famílias vivem hoje em áreas ocupadas, na espera de serem assentadas.

– A nossa proposta é que Lula apresente um plano de reforma agrária – ressaltou Rodrigues, reafirmando que neste ano nenhuma família foi assentada.