MST é premiado na Espanha

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 5 de outubro de 2001 as 12:13, por: cdb

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra foi comunicado nesta nesta sexta-feira, de ganhar o Prêmio Internacional Alfonso Comín, em Barcelona – Espanha.

O Prêmio é concedido a pessoas ou coletivos que tenham se destacado por sua luta em favor da justiça, liberdade, paz e Direitos Humanos pela Fundação Alfonso Comín e está em sua 18ª edição. Entre os já premiados estão Nelson Mandela (1986), o Povo da Palestina (1988), as vítimas inocentes do Povo do Iraque na chamada Guerra do Golfo (1991) e o bispo de S. Félix do Araguaia, Dom Pedro Casaldáliga (1992).

A Fundação Alfonso Comín foi criada em 1983, quando completava-se três anos da morte de Alfonso Comín. Ela trabalha na problemática do mundo atual, inspirada na linha que orientou a vida e a obra de Alfonso Comín, de compromisso ao serviço dos menos favorecidos na luta para construir um mundo mais justo, livre e solidário.

Alfonso Comín (1933-1980) foi um intelectual político católico e marxista. Dedicou sua vida em defesa da igualdade, liberdade, justiça e paz, comprometido com a libertação da classe trabalhadora e de todas as causas emancipadoras da humanidade.

O ato de entrega do Prêmio será na Prefeitura de Barcelona, que esta patrocinando o prêmio de um milhão de pesetas (cerca 6,5 mil dólares). A cerimônia de entrega do Prêmio acontecerá entre a segunda quinzena de novembro e a primeira de dezembro.

Outros prêmios

Em 25 de setembro de 2001, o MST ganhou o Prêmio de Direitos Humanos da Prefeitura de Siero, região de Astúrias, na Espanha.
Em 1991, o Movimento, juntamente com a CPT, ganhou o prêmio Nobel Alternativo, concedido pela Fundação The Right Livelyhood Awards, da Suécia. Em 1996, o Rei da Bélgica concedeu o prêmio Rei Balduíno ao movimento. O programa de Educação do MST também foi premiado pela Unicef, em 1995.