MPF pede interdição da pista principal do Aeroporto de Congonhas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 24 de janeiro de 2007 as 19:33, por: cdb

O Ministério Público Federal ajuizou nesta quarta-feira na 22ª Vara Federal Cível de São Paulo um pedido de interdição da pista principal do Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul. O MPF pede que as operações de pouso e decolagem sejam suspensas até a realização da reforma na pista principal.

Os procuradores da República Fernanda Taubemblatt e Márcio Schusterschitz da Silva Araújo pedem que os vôos sejam desviados para os aeroportos internacionais de Viracopos, em Campinas (96 km de São Paulo), e Guarulhos, na Grande São Paulo. O pedido do MPF não prevê a interdição da pista secundária do aeroporto, mas condiciona seu uso até as 23h.

O MPF alega que a pista de Congonhas tem um sistema de drenagem ineficiente, o que coloca em risco a vida de tripulantes, passageiros e moradores do entorno. Entre março de 2006 e janeiro deste ano, quatro derrapagens foram registradas no aeroporto. Em um dos casos, um avião da companhia aérea BRA quase caiu na Avenida Washington Luís, na Zona Sul de São Paulo.

Por causa dos incidentes, desde 29 de dezembro as operações têm sido suspensas para que técnicos da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) possam medir a lâmina d’água no asfalto. A medida, entretanto, pode ser revista graças aos atrasos causados pelo fechamento de Congonhas. Na terça-feira, a pista principal ficou fechada entre 6h15 e 6h45, causando um efeito cascata em pelo menos 11 aeroportos brasileiros.

A reforma na pista principal deveria começar no início de fevereiro, mas as obras só devem ser iniciadas no fim do mês. Para os procuradores, a Infraero, que administra os aeroportos, e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que regula o setor, sabem dos problemas da pista de Congonhas. Por isso, são consideradas rés na ação.