Morte de civil com granada levanta suspeita de tráfico

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado domingo, 7 de maio de 2006 as 13:04, por: cdb

Um acidente ocorrido na madrugada deste domingo, na Zona Norte do Rio, é visto como mais um episódio no tráfico de armas do Exército brasileiro para traficantes no Rio de Janeiro. Marcos Paiva da Conceição, de 29 anos, morreu na explosão de uma granada na Rua Cisplatina, em Irajá. Ele chegou a ser socorrido e levado para o hospital Getúlio Vargas, mas não resistiu aos ferimentos.

Policias do batalhão de Rocha Miranda foram acionados e encontraram uma segunda granada, que não chegou a explodir. O caso foi encaminhado para a delegacia de Vicente de Carvalho, mas não ficará restrito às polícias Civil e Militar. Setores de inteligência do Exército já foram acionados, nas primeiras horas da manhã, para tomar conhecimento da ocorrência.

Tanto a Polícia Federal quanto a P2 (polícia secreta do Exército) conduzem uma série de investigações sobre o desvio de armamento militar para traficantes nos principais centros urbanos do país e até o envio de suprimentos para grupos guerrilheiros latino-americanos, em troca de cocaína. O uso de armamento como moeda na compra da droga já foi prática do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, atualmente encarcerado na sede da PF, em Brasília, e preso desde abril de 2001.

O esquema atual é diferente do de Beira-Mar na origem das armas. Ele entregava aos guerrilheiros armamento contrabandeado do Paraguai. O que era uma suspeita da polícia sobre o novo esquema ficou comprovado dia 5, quando três colombianos trocaram tiros com militares brasileiros ao serem flagrados numa embarcação na parte brasileira do Rio Negro, no Amazonas.