Morre o compositor Bezerra da Silva

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 17 de janeiro de 2005 as 10:58, por: cdb

O sambista Bezerra da Silva Morreu na manhã desta segunda-feira no Rio. O compositor de 77 anos sofria de enfisema e teve uma parada cardíaca. Ele estava internado no Hospital dos Servidores do Estado, no Centro, desde o final de outubro de 2004. Bezerra foi hospitalizado no dia 1º de setembro, no Hospital São Lucas, em Copacabana, reclamando de dificuldades para respirar. Lá foi sedado e transferido para o Hospital Pinheiro Machado, no mesmo dia, já em coma. Na ocasião, a mulher do sambista, Regina, disse que ele sofria com bronquite e parou de fumar há 11 anos.

Bezerrada Silva nasceu em Recife, em 23 de fevereiro de 1927 e veio para o Rio aos 15 anos, onde trabalhou como pintor de paredes. Enveredou pela vida artística “por medo de passar fome”, como ele mesmo dizia.

Gravou seu primeiro compacto em 1969 e o primeiro disco em 1975. Seus maiores sucessos são “Malandragem dá um tempo” (regravada pelo Barão Vermelho), “Candidato caô caô” (regravada pelo O Rappa), “Seqüestraram minha sogra”, “Overdose de cocada”, “Malandro não vacila”, “Meu pirão primeiro” e “Pai véio 171”.

Ao todo, gravou 28 discos. Ganhou 11 discos de ouro, 3 de platina e 1 de platina duplo.