Morre, aos 79 anos, o ex-vice-presidente José Alencar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 29 de março de 2011 as 15:07, por: cdb

José Alencar

José Alencar morreu após mais de 15 anos de luta contra o câncer

O ex-vice-presidente da República José Alencar morreu às 14h41 desta terça-feira, por falência múltipla de órgãos, aos 79 anos, segundo informações da equipe médica que o atendia no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Ele estava internado em estado crítico. Alencar estava com uma obstrução intestinal, causada por crescimento de tumores. O ex-vice-presidente, de 79 anos, lutava há mais de uma década conta um câncer no intestino e já havia passado por mais de dez cirurgias.

Filho de Antônio Gomes da Silva e Dolores Peres Gomes da Silva, José Alencar Gomes da Silva nasceu Muriaé (MG), no dia 17 de outubro de 1931. Começou a trabalhar com sete anos de idade, ajuda o seu pai em uma loja de tecidos e aos dezoito anos, iniciou o seu próprio negócio: uma loja de artigos diversos, como chapéus, calçados, tecidos, etc.

Após outras experiências comerciais, como o ramo de cereais, por exemplo, o então empresário abriu aquele que seria um de seus maiores empreendimentos: a Coteminas – empresa do ramo de produção têxtil.

Vida pública

José Alencar iniciou sua vida política como presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG – SESI, SENAI, IEL, CASFAM) e vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria. Foi candidato às eleições para governador de Minas Gerais no ano de 1994 e, em 1998 foi eleito para uma vaga no Senado Federal com quase três milhões de votos. Já como senador, foi nomeado presidente da Comissão Permanente de Serviço de Infra-Estrutura – CI, e membro das Comissões Permanentes de Assuntos Econômicos e também da de Assuntos Sociais.

Assumiu o cargo de vice-presidente do Brasil em 2003, pela chapa de governo e, gerando certa polêmica por discordar da política econômica defendida pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (manter os juros altos como solução para conter a inflação e manter a economia sob controle).

Já em 2004, além da vice-presidência, foi nomeado também ao cargo de Ministro da Defesa, porém em determinadas oportunidades, aparentou incerteza quanto à sua permanência em uma função tão diferente de seus conhecimentos empresariais. Atendendo aos pedidos do então presidente Lula, Alencar exerceu a função até o mês março de 2006. Na ocasião, acabou renunciando para atender às determinações legais, com o objetivo de poder participar das eleições de 2006. Foi considerado pela Revista Época um dos 100 brasileiros mais influentes do ano de 2009.

No dia 25 de janeiro de 2011, recebeu a medalha comemorativa de aniversário da cidade de São Paulo (SP). Durante a solenidade de entrega da menção ao ex-vice-presidente, a recém-empossada presidente Dilma Rousseff ressaltou: “Eu tenho certeza de que cada brasileira e brasileiro deste imenso país gostaria de estar agora em São Paulo – esta cidade-síntese do espírito empreendedor do país que completa hoje 457 anos de existência – para entregar junto conosco a Medalha 25 de Janeiro ao nosso eterno vice-presidente da República, José Alencar.” Em resposta, José Alencar declarou: “Não posso me queixar. A situação está tão boa que não tem como melhorar, todo mundo está rezando por mim”. Apesar de estar em uma cadeira de rodas, ele ainda até brincou com o público dizendo: “Aprendi com Lula que os discursos devem ser como um vestido de mulher: nem tão curtos que possam escandalizar, nem tão longos que possam entristecer”.

Saúde

O histórico de saúde de José Alencar foi cheio de provações, dificuldades, superação e vitórias. Há 11 anos o ex-vice-presidente luta contra um câncer na região abdominal e já se submeteu a mais de 15 cirurgias – tendo uma delas, duração superior a 20 horas. Nessa longa batalha contra a enfermidade, também passou por um tratamento experimental nos Estados Unidos, com resultado que não possível ser concluído. Já no ano de 2010, após repetidas internações – sendo muitas delas de extrema emergência -, desistiu de se candidatar ao Senado, por considerar todo o contexto uma “injustiça com os eleitores”.

Ao final de seu mandato como vice-presidente da república, em 2010, José Alencar assumiu o estado de saúde ainda mais complexo, passando por momentos difíceis, sendo até mesmo necessário o interrompimento do tratamento contra o câncer. Em dezembro de 2010, se submeteu a mais uma cirurgia, na tentativa de conter uma hemorragia interna na região abdominal. Um dia após a intervenção cirúrgica, Lula e a então presidente eleita Dilma Rousseff fizeram-lhe uma visita no hospital Sírio-Libanês em São Paulo (SP).

Comments are closed.