Montes Claros recebe nota máxima por prevenção da Sífilis Congênita

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 28 de março de 2012 as 13:08, por: cdb

Por: Attilio Faggi Júnior

Em recente estudo divulgado pelo Ministério da Saúde, o Índice de Desempenho do Sistema Único de Saúde (IDSUS), que avaliou a rede pública de saúde em todo o país, Montes Claros obteve nota máxima no item que avalia a Taxa de Incidência de Sífilis Congênita, que é aquela em que a infecção se processou por via transplacentária – transmitida da mãe para o feto através da placenta.

É interessante ressaltar que apenas 31 municípios mineiros, além de Montes Claros, receberam nota 10 no quesito “Taxa de Incidência de Sífilis Congênita”, o que corresponde a menos de 4% das 853 cidades do estado avaliadas pelo estudo do Governo Federal.

A prevenção à enfermidade, em Montes Claros, começa antes mesmo da mulher ficar grávida, segundo o secretário adjunto de Saúde Alik Rodrigues. “Acompanhamos as mulheres com vida sexual ativa e as educamos para que não contraiam a doença”, explica o secretário adjunto a respeito da iniciativa que se dá através de palestras.

“Nas mulheres em que identificamos a presença da doença, iniciamos o tratamento antes que engravidem”, conta. Quando a enfermidade é diagnosticada na gestante, no acompanhamento pré-natal, o tratamento é feito através de medicamentos e com início imediato. Após o nascimento da criança, são feitos exames para diagnosticar a presença da doença, e caso se confirme, tem início o tratamento.

Em Montes Claros, o acompanhamento pré-natal das gestantes é disponibilizado em 70 unidades de Estratégia de Saúde da Família e 13 Centros de Saúde espalhados pelo município. Para os casos de gestação de alto risco, ainda existe o Centro de Saúde da Mulher. Convênios entre a Secretaria Municipal de Saúde e os hospitais Universitário Clemente Faria, Aroldo Tourinho e Santa Casa representam mais uma opção para a realização do pré-natal.