Miss Dinamarca protesta contra apedrejamento de nigeriana

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de outubro de 2002 as 13:11, por: cdb

A Miss Dinamarca, Majsa Juel, aderiu a um boicote ao concurso de Miss Mundo, a ser realizado na Nigéria, em protesto contra a pena de morte por apedrejamento determinada contra uma nigeriana acusada de ter mantido relações sexuais fora do casamento.

O caso de Amina Lawal, de 31 anos, despertou forte reação internacional após um tribunal que segue a sharia — um estrito código legal muçulmano — condená-la a ser enterrada na areia até o pescoço e apedrejada até a morte.

“Eu não viajarei à Nigéria se eles não reverterem a sentença”, afirmou Juel, de 23 anos, que conquistou o título de Miss Dinamarca em novembro passado.

Juel juntou-se, assim, às representantes de Espanha, França, Bélgica e Suíça no boicote ao concurso, que está marcado para o final de novembro, em Abuja.

Governos de vários países e organizações internacionais de defesa dos direitos humanos vêm exortando o presidente nigeriano, Olusegun Obasanjo, a interceder em favor de Amina.

O Parlamento da União Européia defendeu o boicote ao concurso.