Ministro da Saúde fala sobre gripe aviária no Uruguai

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sexta-feira, 11 de novembro de 2005 as 11:08, por: cdb

O ministro da Saúde, Saraiva Felipe, participou nesta sexta-feira, em Montevidéu, no Uruguai, da 19ª Reunião dos ministros da Saúde do Mercosul e Estados Associados.

Participaram também os representantes da Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru e Venezuela.

No encontro, que é semestral, foram assinados acordos válidos nos países que integram o Mercosul.

Entre os temas que foram discutidos nessa edição do evento estão a criação de comissões inter-governamentais de luta contra a aids, de saúde ambiental e saúde do trabalhador e de controle do tabaco.

Saraiva Felipe aproveitou a oportunidade para falar sobre o Plano Brasileiro de Contingência para o Enfrentamento de uma Pandemia de Influenza, uma resposta do país à Organização Mundial de Saúde (OMS), que alertou sobre uma possível pandemia de gripe a partir do próximo verão do Hemisfério Norte.

O plano será divulgado nos dias 16, 17 e 18 de novembro, no Rio de Janeiro.

Ele relataou as medidas adequadas para cada cenário epidemiológico que temos atualmente e os que poderemos ter no futuro, envolvendo ações de vigilância epidemiológica, utilização de insumos estratégicos como anti-virais e vacinas, organização da assistência ambulatorial e hospitalar aos pacientes, comunicação social e medidas de contenção, entre outras.

Atualmente, algumas medidas do plano já se encontram em implantação, como o fortalecimento da vigilância epidemiológica da influenza, a constituição de um estoque estratégico do anti-viral Oseltamivir (Tamiflu) e a preparação do Instituto Butantan para a produção da vacina contra a cepa pândemica.

Segundo a OMS, o mundo poderá ter uma pandemia causada pelo vírus influenza a partir do próximo inverno do Hemisfério Norte.

Pelos cálculos realizados pela organização, uma eventual pandemia poderia exigir de 57 a 132 milhões de consultas, de entre 1 e 2,3 milhões de internações e ocasionar entre 280 mil a 650 mil mortes, somente nos países industrializados.

A fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), por demanda do Ministério da Saúde, está elaborando, por modelos matemáticos, os possíveis cenários pandêmicos no Brasil.