Ministro da Educação diz que universidades precisam mudar

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 15 de março de 2003 as 09:12, por: cdb

O ministro da Educação, Cristovam Buarque, participou pela primeira vez, nesta sexta-feira, da 72ª reunião do Conselho Técnico Científico da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), onde apresentou a política geral do Ministério para a Educação.

Segundo o ministro, é preciso que haja uma mudança profunda nas universidades brasileiras porque essas não estão levando melhorias para a população em geral.
“Há jovens que não entram nas universidades porque acham que vão aprender mais estando fora delas. Para eles, é uma perda de tempo”, afirmou Cristovam Buarque, completando que, atualmente, a internet e a televisão levam mais conhecimentos que a própria universidade. “Há uma defasagem nas instituições de ensino superior. Elas perderam a sintonia ética com a realidade”.

Cristovam disse ainda que recebe várias pessoas em seu gabinete pedindo o aumento do número de vagas nas universidades. “Mas não estou preocupado com isso, mas que os alunos concluam o ensino médio”.

Ele citou algumas mudanças que precisam acontecer nas universidades para que acompanhem o ritmo do País: permitir o sucesso dos alunos; ter sintonia com as necessidades da população brasileira através da formação dos alunos e retomar a velocidade.

“Se fizermos isso, o Brasil vai dar o recado para o mundo todo. Aqui, nesta mesa, passam decisões para melhorar este quadro. Não vim dizer como vocês devem agir, mas apresentar a nossa política”, observou o ministro, concluindo que é preciso pensar no que é que se está fazendo para mudar a cabeça da elite que passa pelo ensino superior. “Temos que pensar grande”.

Durante a reunião foram discutidos temas como mestrado à distância, cursos oferecidos por associações de instituições brasileiras e estrangeiras, e análise de outros cursos.