Ministério quer repatriar pesquisadores brasileiros, diz Mercadante

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 3 de janeiro de 2011 as 12:05, por: cdb

Brasília – O novo ministro da Ciência e Tecnologia, Alozio Mercadante, afirmou hoje (3) que estuda transformar a Financiadora Estudos e Projetos (Finep), agência de fomento, em uma instituição financeira de projetos científicos.

Segundo Mercadante, a ideia agrada a presidenta Dilma Rousseff, mas ainda “será estudada com cuidado”. De acordo com ele, já existe um parecer favorável do Banco Central sobre a mudança, que está sendo analisado. “Como instituição financeira, ela vai ter muito mais eficácia e eficiência para poder financiar pesquisa e inovação, a exemplo do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social], pois você não depende de recursos orçamentários. É uma mudança que precisa ser muito bem estudada.”

Entre outras metas do novo ministro estão a formação de cientistas e uma política para repatriação de pesquisadores brasileiros que estão fora do país, em parceria com o Ministério das Relações Exteriores, além da regulamentação da área nuclear e desenvolvimento de mecanismos para prevenção de desastres naturais, em parceria com o Ministério da Integração Nacional.

Outro projeto que terá atenção é o de banda larga que pretende levar internet em alta velocidade a escolas públicas e rurais. Para Mercadante, a inclusão digital é uma das maneiras de pôr fim às desigualdades sociais. “Não resolveremos o nosso ainda grande apartheid social sem resolver o perverso apartheid digital que priva a maior parte dos nossos alunos e professores do acesso ao século 21”, disse em seu discurso na transmissão de cargo hoje (3).

Mercadante afirmou que irá se reunir com a presidenta Dilma Rousseff e deve anunciar amanhã (4) nomes de sua equipe, que segundo ele, será formada por profissionais de “grande excelência e competência técnica”.

Edição: Talita Cavalcante

Leia também:

Ministério quer repatriar pesquisadores brasileiros, diz Mercadante