Ministério da Saúde deve ampliar investimento em assistência básica

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 11 de março de 2003 as 09:11, por: cdb

Os recursos da saúde receberão reforços do Ministério da Saúde. Os aumentos vão atingir o Piso de Atenção Básica (PAB) e o Programa de Saúde da Família (PSF). O objetivo é investir em assistência básica, que inclui prevenção de doenças e complicações. Com isso, espera-se diminuir as filas nos prontos-socorros dos hospitais.

Por meio do PAB, o governo federal transfere às prefeituras R$ 10,50 por habitante a cada ano. O valor aumentará R$ 1,50, passando para R$ 12 por habitante por ano.

Quanto ao PSF, o ministério estuda ampliação de 20% na verba destinada ao programa.

Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Gastão Wagner, 80% da população que procura atendimento médico pode ser atendida em postos de saúde. “Esse é o caminho da saúde brasileira.”

É como funcionam os sistemas de saúde inglês e canadense: doenças simples são resolvidas em postos de saúde e, portanto, não vão parar em prontos-socorros.

“Queremos dar aos municípios um reforço de caixa para que invistam em atenção básica”, disse Wagner. “Mas sem deixar de lado os investimentos no atendimento de alta complexidade.”

É pensando na assistência de média e alta complexidade que o ministério pretende revisar os valores pagos pelo SUS para procedimentos de urgência – realizados em prontos-socorros.

Wagner se reuniu nesta segunda-feira em São Paulo com o secretário de Estado da Saúde, Luiz Roberto Barradas Barata, e o secretário municipal da Saúde, Gonçalo Vecina Neto.

Vários assuntos da área foram discutidos, mas o principal deles foi o financiamento do SUS.