Milionário acusado de assassinato é absolvido no Texas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 12 de novembro de 2003 as 02:33, por: cdb

O milionário nova-iorquino Robert Durst, acusado de ter assassinado e esquartejado seu vizinho Morris Black, foi absolvido na última terça-feira por um júri do Texas (sudeste).

Robert Durst, de 60 anos, admitiu ter matado Black, de 71, cujo corpo ele cortou em pedaços e jogou na baía de Galveston. Durst alegou, porém, que agiu em legítima defesa. O réu se mostrou emocionado quando a juíza Susan Criss leu o veredicto na sala judicial de Galveston (Texas).
Seu advogado, Dick DeGuerin, comentou que Durst lamentava o episódio.
 
– Bob estava horrorizado por algumas das coisas que fez e tentou bloquear em sua mente, com bastante êxito, alguns detalhes –  afirmou DeGuerin.

O promotor Kurt Sistrunk disse que estava indignado com a decisão do júri, integrado por oito mulheres e quatro homens, que deliberaram por cinco dias.

– Baseados nas provas que nos apresentaram havia uma dúvida razoável – comentou uma das integrantes do júri, Joanne Gongora, admitindo que a deliberação representou uma árdua tarefa. Durst ressaltou que matou Black em 2001, quando ambos lutaram por sua pistola, que Black utilizou para ameaçá-lo.

O multimilionário, cuja família é dona do império imobiliário Durst Organization, vivia em Galveston disfarçado de mulher. Seus advogados disseram que ele abandonou Nova York, porque temia ser acusado pelo desaparecimento de sua primeira mulher, Susan Berman, em 1982.

Durst contou que cortou em pedaços o corpo de Black e que o lançou na baía, porque pensou que a polícia nunca acreditaria em sua versão dos fatos. Após ser preso pelo assassinato, pagou US$ 300 mil de fiança e fugiu do Texas, sendo detido novamente em novembro de 2001 na Pensilvânia.