Milhares de pessoas se reúnem na Etiópia em tributo a Bob Marley

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 2 de fevereiro de 2005 as 19:08, por: cdb

Milhares de rastafáris e fãs de Bob Marley se reuniram na terça-feira na capital da Etiópia, Adis-Abeba, para o início de várias semanas de festividades que vão comemorar o 60o aniversário do nascimento do cantor, ícone do reggae.

Marley, que morreu de câncer em 1981, chegou ao estrelato mundial com sua música e ajudou a popularizar a religião rastafári, que venera o falecido imperador etíope Haile Selassie.

As comemorações iriam começar com uma cerimônia que teria música e orações na sede da prefeitura de Adis-Abeba, na noite de terça-feira, dando início a um mês de eventos que vai incluir concertos, festivais de cinema e debates.

Os organizadores dizem que até 300 mil pessoas estão previstas para se reunir na praça Meskal, em Adis-Abeba, no domingo, para uma homenagem no aniversário de Bob Marley, conhecido por canções que viraram quase hinos, como “No Woman No Cry” e “Get Up Stand Up”.

O espetáculo musical vai incluir artistas como o rapper de reggae Shaggy, a cantora Angelique Kidjo, do Benin, e a cantora soul India Arie, além de integrantes da família Marley.

Os organizadores também convidaram o ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, defensor dos direitos humanos cujas causas refletem as letras das canções de Marley, que falam de conflitos, discriminação e ódio.

Muitos rastafáris vêem o consumo da maconha como ritual religioso, mas a polícia etíope avisou a população de que vai levar a sério qualquer infração às leis referentes a drogas.

A Etiópia ocupa um lugar sagrado na religião rastafári. Muitos rastafáris veneram Haile Selassie, que foi assassinado em 1974, vendo-o como encarnação de Deus.

O governo da Etiópia vai homenagear Bob Marley com um monumento em uma das avenidas mais conhecidas de Adis-Abeba e vai dar o nome de Marley a um parque em Entoto, a cadeia de montanhas que cerca a cidade onde o imperador Menelik 2o construiu sua capital no século 20.

Representantes da Fundação Bob Marley e Rita Marley disseram que pretendem erguer um museu no ex-Palácio do Jubileu do Imperador Haile Selassie, onde serão expostos tesouros que incluem a coroa e os cetros do falecido imperador.