Microsoft nega ataque à opção do governo por Linux

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 15 de outubro de 2003 as 12:32, por: cdb

A Microsoft, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que o CEO da empresa, Steve Ballmer, não quis atacar o Brasil com as declarações no Global Tech Summit sobre a escolha de software livre pelo governo. As declarações de Ballmer refletem apenas, conforme a companhia, o posicionamento oficial da Microsoft sobre a escolha de software “que deve ocorrer por méritos técnicos e não ideológicos”, afirmou sua assessoria.

“Ballmer não fez uma crítica ao Brasil, falou de maneira geral, provavelmente nem sabia do acordo firmado cerca de 48 horas antes”, afirmou um dos integrantes da equipe de assessoria de imprensa da Microsoft.

As vendas para o governo representam apenas 6% do faturamento da Microsoft, líder de mercado no Brasil, ainda a assessoria. O faturamento da Microsoft Corporation (EUA) estimado para o ano fiscal completo que se encerrará no dia 30 de junho de 2004 será de, no mínimo, US$ 34,2 bilhões.