México assina protocolo da AIEA

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 29 de março de 2004 as 09:35, por: cdb

O secretário de Energia do México, Felipe Calderón Hinojosa, assinou nesta segunda-feira, em Viena, o chamado Protocolo Adicional da AIEA, que permite aos especialistas desse organismo da ONU inspecionar as instalações nucleares do país latino-americano sem aviso prévio e praticamente sem limites.

Calderón assinou o protocolo adicional do Tratado de Não Proliferação de armas nucleares (TNP) na presença do diretor geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o egípcio Mohamed El Baradei.

”O protocolo adicional é muito importante para nós, porque nos dá a autoridade necessária para realizar uma verificação crível. É uma experiência que aprendemos depois da guerra no Iraque em 1991”, disse o Baradei à EFE depois da cerimônia.

Acrescentou que ‘vimos nos últimos anos tentativas de proliferação por parte de Líbia, Iraque e Coréia do Norte, nos gostaria estar seguros que temos o melhor sistema para fazer frente a este problema e o protocolo adicional é um instrumento muito importante para isso’.

O diretor geral da AIEA expressou sua esperança que Argentina e Brasil assinem em breve o mesmo documento depois de comentar que ”os dois países se comprometeram com o protocolo”.

”É só uma questão de tempo. Espero que o assinem o mais rápido possível”, comentou El Baradei, que disse à EFE que o atual sistema de controle bilateral da Argentina e Brasil ‘é totalmente insuficiente’.

O México é o primeiro país latino-americano com um importante programa nuclear que assina este documento adjunto ao Tratado de Não Proliferação de armas nucleares (TNP).
Até agora só 39 países ratificaram esse documento, enquanto que 81 o têm assinado, entre os quais destacam como as mais recentes e significativas assinaturas a do Irã, no passado dia 18 de dezembro, e da Líbia, no passado 11 de março.