Metrô do Rio inaugura serviço de transporte de bicicleta

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 20 de janeiro de 2005 as 18:38, por: cdb

Os cariocas aprovaram a iniciativa do metrô do Rio de Janeiro de transportar, nos domingos e feriados, ciclistas e suas bicicletas. O projeto Metrô Bike foi iniciado nesta quinta-feira, feriado de São Sebastião, padroeiro da cidade, com a adesão de dezenas de adeptos das pedaladas de fim de semana. Diferente dos dias úteis, os passageiros do metrô compartilharam os trens com vários ciclistas. O acesso dos ciclistas ao metrô só será permitido aos domingos e feriados.

– Foi uma ótima idéia, os seguranças deram as instruções direitinho, o embarque e desembarque foi tranqüilo. Está mais do que aprovado. Adoro pedalar, é minha higiene mental – comemorou Mário Márcio Nonato, de 45 anos, integrante do Grupo Pedalando Sem Destino.

Há três anos o grupo reúne cerca de 20 pessoas em passeios ciclísticos no fim de semana. Aos domingos, eles costumam pedalar de Copacabana até as praias da Barra da Tijuca e do Recreio, na zona oeste do Rio. Como são moradores de Engenho de Dentro, no subúrbio da zona norte, tinham de cruzar viadutos e vias de trânsito pesado para chegar à orla da zona sul.

– Para chegar à praia, fazíamos todo o trajeto no pedal, inclusive pelas avenidas Radial Oeste e Presidente Vargas, no centro. Além de não serem lugares agradáveis, essas vias são muito perigosas. Nem todos os motoristas respeitam a gente – queixou-se Anilton Absalão, de 41 anos.

– Com a carona do metrô, poderemos aproveitar mais o passeio com menos desgaste.

Nelson dos Santos, de 46 anos, acredita que os moradores da zona norte do Rio serão os mais beneficiados.

– No subúrbio há poucas ciclovias. Esse projeto vai estimular mais gente a andar de bicicleta, que além de lazer é ótimo exercício físico – afirmou.

A novidade foi bem aceita também pelos outros usuários do metrô. A maioria elogiou a iniciativa e não se incomodou com os ciclistas, que só tiveram acesso aos primeiros e últimos vagões das composições e foram proibidos de usar escadas rolantes com as bicicletas.

– A receptividade de quem estava sem bicicleta foi muito boa. Sentimos que foi uma experiência positiva – afirmou Joubert Flores, diretor adjunto de Relações Institucionais do Metrô Rio. A concessionária estuda adotar a medida também aos sábados.