Mesmo com a presença da PM, lojas ficam fechadas no centro de SP

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 7 de novembro de 2002 as 23:55, por: cdb

Os comerciantes da região do Glicério, centro de São Paulo, mantêm as portas fechadas, apesar do reforço do policiamento na área. Eles abaixaram as portas hoje após ordens de supostos traficantes. O “toque de recolher” teria ocorrido em sinal de luto pela morte, ontem, de dois homens durante um confronto com a PM.

É a primeira vez que o crime impõe “toque de recolher” na região central. Eles costumam ocorrer em bairros distantes, na periferia. O problema de hoje atinge principalmente as ruas Conde de Sarzedas e Oscar Cintra Gordinho, onde ocorreu a operação policial.

Para o setor de Comunicação Social da Polícia Militar, “boatos” provocaram o fechamento das lojas. A PM diz ainda que a decisão de abrir as portas depende de cada comerciante.

Motivados pelos rumores das ordens dos criminosos, comerciantes dizem que preferem ficar com as portas abaixadas porque temem represálias a partir de amanhã, quando o policiamento deverá ser menor.

Segundo o capitão Alberto Tamashiro, da 1ª Cia do 7º Batalhão da Polícia Militar, aproximadamente 120 homens foram deslocados para manter a segurança na região. Em média, 15 policiais fazem a ronda na área diariamente.

No entanto, o número de policiais será reduzido. “Estamos adequando o número de policiais”, disse. Conforme ele, a situação é de aparente tranquilidade no bairro. Nenhum incidente foi registrado.

As ordens para que o comércio ficasse fechado hoje foram dadas entre ontem e a madrugada de hoje.

“Os comerciantes estão assustados”, afirmou o capitão.

Um suspeito chegou a ser detido hoje, mas foi liberado após interrogatório.

Operação policial e tiroteio
A operação da Polícia Militar ocorreu no início da tarde de ontem. Policiais da Rota (Rondas Ostensivas Tobias Aguiar) apuravam uma denúncia de que pessoas ligadas à facção PCC (Primeiro Comando da Capital) ocupavam um apartamento da rua Oscar Cintra Gordinho.

Foram apreendidos um fuzil HK 762, uma metralhadora 9mm, duas pistolas calibre 380 e um revólver calibre 38. Dois pares de placas de um veículo Vectra e uma moto roubada também foram encontrados.

Os dois homens mortos foram baleados porque teriam tentado fugir. Outras cinco pessoas foram detidas e encaminhadas para o 1º Distrito Policial (centro).