Mercado acionário da Argentina tem reação positiva

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 3 de janeiro de 2002 as 02:01, por: cdb

O valor das ações do mercado argentino teve uma grande recuperação nesta quarta-feira, primeiro dia útil do ano, após as fortes quedas depois da renúncia do presidente Fernando de la Rúa, em 20 de dezembro. A revalorização das ações ocorreu depois de o novo presidente do país, Eduardo Duhalde, ter indicado que pretende romper com as políticas econômicas que vinham sendo adotadas no país até agora – notadamente a paridade entre o peso e o dólar.

Um assessor de Duhalde revelou à agência de notícias Reuters que o presidente deve permitir uma resvalorização de mais de 30% da moeda nacional. Na bolsa de valores de Buenos Aires, o índice Merval chegou a subir 5%. Segundo analistas, isso se deve ao fato de as pessoas, temendo a desvalorização, terem supostamente aplico seu dinheiro em ações.

Nesta quarta-feira, o Banco Central da Argentina (BCA) determinou que o mercado de câmbio não funcionasse no país e não indicou quando ele voltará a abrir. O BCA também suspendeu uma ordem que determinava a paridade entre o dólar e o peso para dívidas bancárias e transferências – o que é visto por alguns analistas como um primeiro passo para a desvalorização cambial. A ordem havia sido emitida na semana passada. Segundo a agência Reuters, a suspensão da ordem deve ser mantida pelo menos até sexta-feira, quando Duhalde deve lançar um plano de “desvalorização controlada” do peso.

O governo argentino já anunciou que não tem como pagar sua dívida de US$ 132 bilhões com os credores internacionais. No seu discurso de aceitação do cargo de presidente, Duhalde deixou claro que o país vai precisar da compreensão internacional para resolver seus problemas.