Médicos de Sergipe paralisam trabalho

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 2 de outubro de 2003 as 03:01, por: cdb

Os médicos, enfermeiros e técnicos do Hospital de Pronto Socorro Governador João Alves Filho, em Sergipe, paralisaram na última quarta-feira as atividades em protesto contra os baixos salários, superlotação da casa de saúde e dificuldades de atendimento.

A paralisação motivou a triagem no atendimento de doentes por parte dos 30% do efetivo que trabalhou. Não houve registro de casos graves durante todo o dia.

Conforme o presidente da Associação dos Médicos, Luiz Bandeira, o salário básico da categoria é de apenas R$ 343. Já os enfermeiros têm o básico de R$ 168.

Ele revelou ainda que o hospital, que atende diariamente cerca de 600 pessoas, recebeu na última quarta-feira menos de 300.
 
– O salário é baixo e a produtividade, em se tratando de atendimento, é grande. A gente quer corrigir isso – explicou.