MEC discute o trabalho voluntário na escola

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado sábado, 19 de outubro de 2002 as 00:13, por: cdb

A TV Executiva do Ministério da Educação apresentou hoje, por meio de teleconferência transmitida pela Embratel, experiências que estão mudando a vida de comunidades de várias cidades brasileiras, com o apoio do Programa Jovem Voluntário Escola Solidária. A apresentação dos trabalhos, no auditório da Embratel, foi feita pela jornalista Leda Nagle e o debate contou com a presença da presidente do Instituto Faça Parte, Milu Villela; da secretária de Educação de Goiás, Eliana Carneiro; da secretária municipal de Educação de Limeira (SP), Ana Terezinha Naleto; e do estudante Daniel Teodoro, coordenador da Rede de Protagonismo Juvenil do Programa Jovem Voluntário.

Segundo dados do Ministério da Educação, o trabalho voluntário envolve mais de 19 milhões de alunos e professores e a escola, que é o espaço onde o voluntariado discute o que precisa apoiar para mudar a vida da sua comunidade.

Em mensagem gravada, o ministro da Educação, Paulo Renato Souza, explicou que o trabalho voluntário é uma atividade não remunerada exercida em benefício da sociedade, “a partir do querer de professores e alunos que desejam trabalhar juntos na busca de solução de problemas reais, dentro ou fora da escola”. Ele lembrou que “o voluntário pode dedicar algumas horas por dia ou por ano, mas o mais importante é assumir um compromisso com aquilo que se pode cumprir”.

O trabalho voluntário envolve várias áreas: educação, cultura e lazer, saúde, segurança pública, meio ambiente e oportunidades de emprego e renda. O voluntário pode organizar atividades que envolvem esportes, jogos ou ainda fazer mutirões de reforma de pequenos consertos em escolas ou, ainda, trabalhar em hospitais, visitando doentes e dando apoio emocional aos familiares. Para participar do programa basta identificar alguma necessidade e formar grupos de voluntários para buscar uma solução, engajar no projeto de desenvolvimento da cidade para a melhoria de vida da comunidade.