Marroquinos dizem ter sido torturados em Guantánamo

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 8 de fevereiro de 2005 as 14:55, por: cdb

Novas acusações de prática de tortura na base militar americana de Guantánamo, em Cuba, vieram à tona durante o julgamento de cinco ex-dententos no Marrocos.

Os cinco, todos de nacionalidade marroquina, compareceram a um tribunal da capital do Marrocos, Rabat, na segunda-feira. Eles haviam sido entregues pelos americanos em agosto do ano passado.

O julgamento foi posteriormente suspenso até o final do mês.

Este é o primeiro julgamento de ex-prisioneiros de Guantánamo a ser realizado em um país árabe.

Olhos vendados

Os cinco réus disseram várias vezes que, enquanto estavam detidos em Guantánamo, foram despidos e algemados antes de serem atacados por cachorros.

A cada vez os réus faziam denúncias de tortura, o juiz interrompia o relato.

– Este tribunal não está preocupado com o que aconteceu em outros países – disse o magistrado.

Todos os cinco se declararam inocentes de ter ligações com a organização Al-Qaeda e o militante saudita Osama Bin Laden.

Eles também negaram ter participado de treinamentos militares no Afeganistão.

Quando interrogados sobre o fato de antes terem assinado declarações diferentes, eles responderam que haviam tido seus olhos vendados durante boa parte do tempo em que permaneceram em Guantánamo.

Eles disseram que ainda estavam com as vendas nos olhos quando assinaram os documentos.

O julgamento pode ter uma repercussão mais ampla no Marrocos e testar o forte apoio do governo local à “guerra contra o terrorismo” dos Estados Unidos.