Mancha tóxica avança pelo rio e chega a cidade Chinesa

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quinta-feira, 24 de novembro de 2005 as 11:31, por: cdb

Uma grande mancha de materiais tóxicos alcançou a periferia da cidade de Harbin, no norte da China, nesta quinta-feira, depois de ser transportada pelo rio Songhua a principal fonte de água da cidade. As autoridades aconselharam os nove milhões de habitantes de Harbin  a ficarem atentos a sintomas de contaminação pelo benzeno, que pode provocar problemas renais, hepáticos e sanguíneos, como a anemia.

Também nesta quinta-feira quinta-feira, uma explosão em uma indústria química da Província de Sichuan (sudoeste) matou uma pessoa, feriu três e provocou temor de contaminação por benzeno na vizinha cidade de Danjiang, segundo a agência de notícias Xinhua.

O governo da Província de Heilongjiang, cuja capital é Harbin, ordenou que os hospitais se preparem para casos de envenenamento. O governador Zhang Zuoji prometeu tomar o primeiro copo d’água do rio Songhua quando a poluição se dissipar.

Uma fonte oficial disse que a mancha de 80 quilômetros de poluição entrou na manhã de quinta-feira na área do rio que abastece Harbin. A camada tóxica deve passar pela cidade em si no sábado. A Xinhua disse que o abastecimento de água pode ser parcialmente restabelecido a partir de domingo.

A reação da população varia da aceitação à ansiedade, mas há poucos sinais de pânico. A maioria dos moradores continua trabalhando. Lojas e restaurantes permanecem abertos.

“É preocupante, porque (o benzeno) pode não ter um cheiro ou uma cor fortes, então não se pode dizer quando foi embora”, disse Hong Shan, funcionário público aposentado que fazia exercícios à margem do rio. “Cabe ao governo nos manter informados.”

Segundo a Xinhua, a indústria responsável pelo acidente, na vizinha Província de Jilin, tentou impedir a entrada de mais poluentes no rio e chegou a abrir uma barragem na tentativa de diluir o benzeno.

O primeiro-ministro Wen Jiabao realizou na quarta-feira uma reunião do governo sobre a situação ambiental.A mancha de poluição já passou pela cidade de Songyuan. Em Harbin, o abastecimento de água está parcialmente interrompido há sete dias.

Recentemente, uma entidade ambientalista de Harbin divulgou um relatório denunciando a poluição no rio Songhua. O texto dizia que muitas fábricas estavam lançando clandestinamente água poluída e produtos químicos no rio, e que as usinas de tratamento podiam não bastar para proteger a população.

A agência russa de proteção ambiental disse na quarta-feira que há temores de que a poluição afete a região fronteiriça de Khabarovsk, a centenas de quilômetros de Harbin, mas também banhada pelo Songhua (Amur, para os russos).

O governo russo disse estar tomando medidas para proteger a população, mas cobrou mais informações da China. A TV da Rússia mostrou lojas estocando água mineral na região a ser afetada e disse que alguns comerciantes estão reajustando o preço. Técnicos perfuram o gelo para analisar a água do rio.