Mais de 100 mil manifestantes respondem ao chamado

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado terça-feira, 26 de novembro de 2002 as 16:13, por: cdb

Milhares de franceses foram às ruas, nesta terça-feira, na maior manifestação sindical dos últimos tempos na França. Centenas de vôos foram cancelados ao longo do dia e serviços públicos de transporte seriamente afetados pelas greves dos controladores de vôo e de funcionários de outros serviços públicos da França.

A greve dos controladores de vôo, que deve continuar até a quarta-feira, provocou o cancelamento de 90% dos vôos internacionais chegando ou saindo da França.

Em Paris, cerca de 100 mil funcionários da rede ferroviária devem participar de uma passeata contra privatizações, ao lado de outros funcionários públicos e aposentados.

Os protestos foram organizados por sindicatos para combater medidas do governo como privatizações, reforma da Previdência Social e cortes nos gastos públicos.

Paralisações

As paralisações têm sido vistas como o maior desafio enfrentado pelo governo do primeiro-ministro Jean-Pierre Raffarin, de centro-direita, no poder há cinco meses.

No domingo e na segunda-feira, bloqueios de ruas causaram poucos problemas aos motoristas, mas passageiros aéreos não tiveram a mesma sorte.

Transportes terrestres também foram afetados

Air France, British Airways, Lufthansa, Lot, Scandinavian Airlines, Olympic Airways, entre outras companhias, cancelaram vôos.

A greve dos aeroviários é em apoio às passeatas e operações tartaruga previstas para esta terça-feira.

Ferroviários, motoristas de ônibus, carteiros e funcionários de telecomunicações vão participar dos protestos, o que deve causar problemas para passageiros de trem e do metrô de Paris.

Os motoristas de caminhão, porém, parecem ter abandonado sua campanha de piquetes nas ruas, depois da intervenção do governo.

A polícia interrompeu vários protestos, e os motoristas foram ameaçados de perder suas carteiras se continuassem as ações.