Mais de 10 milhões saem da inadimplência em 2004

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado segunda-feira, 31 de janeiro de 2005 as 12:02, por: cdb

 De janeiro a dezembro de 2004, 10,2 milhões de pessoas retiraram seu nome da lista de inadimplentes, um crescimento de 5,2% no número de baixas sobre 2003, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira pela Serasa.

De acordo com a empresa, no mesmo período, 12,72 milhões pessoas entraram no cadastro de inadimplentes. Esse movimento resultou em uma alta de 2,5 milhões de inadimplentes em 2004, número 2,8% menor do que o registrado em 2003, quando foi registrado saldo de 2,57 milhões de inadimplentes.

Em comunicado, a Serasa informou que o levantamento revela ainda que a composição das anotações no cadastro de inadimplência tem se alterado sensivelmente nos últimos cinco anos. Em 2000, os cheques sem fundos respondiam por 48% das anotações de inadimplência. Essa participação caiu para cerca de 35% no ano passado.

As dívidas com cartões de crédito e financeiras subiram de 24% das anotações para 32% no mesmo período. Dívidas no sistema financeiro também subiram, passaram de 16% das anotações de inadimplência em 2000 e para 28% em 2004.

Segundo a instituição, o aumento recorde do número de baixas em 2004 é resultado da melhora do nível da atividade econômica, durante 2004, quando houve redução do desemprego e melhora da massa salarial. Outro fator que contribuiu para a redução da inadimplência, de acordo com os técnicos do Serasa, foi a troca de dívidas caras por outras mais baratas para o regularização da inadimplência. Os consumidores, por exemplo, podem ter optado pelo crédito consignado em folha de pagamento.

Para os técnicos, esse movimento recorde de redução de inadimplentes mostra um aumento na capacidade de consumo das famílias, o que traria impacto positivo no crescimento futuro do Produto Interno Bruto.

O Serviço de Orientação ao Cidadão da Serasa também teve atendimento recorde em 2004. Em todo o Brasil, no ano passado, foram atendidas 1,73 milhão de pessoas, o maior número já registrado pela empresa. Segundo o estudo, o número é cerca de 4% maior do que o registrado em 2003, segundo melhor desempenho do Serviço, quando 1,66 milhão de pessoas foram atendidas.