Maiores bancos de investimentos querem competir com bolsas

Arquivado em: Arquivo-CdB
Publicado quarta-feira, 15 de novembro de 2006 as 14:14, por: cdb

Com a intenção de concorrer diretamente com as principais bolsas de valores européias, os maiores bancos de investimentos do mundo propuseram-se a criar um novo sistema pan-europeu de comércio de ações. Os bancos acusam as bolsas de cobrar muito por esse tipo de atividade. Diversos veículos de imprensa britânicos afirmaram nesta quarta-feira que os bancos querem criar, em questão de meses, esse novo sistema de informática, antes que entre em vigor no próximo ano a nova norma européia sobre o comércio de produtos financeiros.

Os bancos que formarão essa nova aliança são os americanos Citigroup, Morgan Stanley, Goldman Sachs e Merrill Lynch, os suíços UBS e Credit Suisse e o alemão Deutsche Bank. Esses bancos, que realizam aproximadamente metade do comércio de ações européias, criarão um sistema de comércio de ações de alta velocidade cujas tarifas serão muito inferiores às das
três principais bolsas européias: Londres, Frankfurt e Euronext.

A nova plataforma aproveitará as vantagens oferecidas pela diretiva européia que entrará em vigor em novembro, cujo objetivo é promover a competição e combater o quase monopólio das atuais bolsas.

Os representantes desses bancos se reuniram em sigilo durante os últimos meses para planejar a nova bolsa de valores que querem criar sob a supervisão de uma firma de advogados londrina.
Os bancos acham que a concorrência a ser representado pelo novo sistema reduzirá os custos das transações e beneficiará também milhões de pessoas que depositaram suas economias em fundos de pensão ou de investimentos, porque também barateará os custos de operação destes últimos.

A iniciativa dos sete grandes bancos preocupará de modo especial, segundo os analistas, ao London Stock Exchange, que tentou se proteger ultimamente frente à esperada oferta pública de aquisição do Nasdaq americano.

Fontes próximas ao Deutsche Bank, que assessora a Deutsche Börse, disseram ao jornal Financial Times que a Bolsa de Frankfurt retirará sua oferta de fusão com a Euronext, que avalia suas ações muito abaixo da realizada pela bolsa nova-iorquina (NYSE).